top of page

A fluidez rebate o peso do antigo comercial de Mugler

Depois de temporadas distantes, focados em um mercado comercial, Mugler rebate tabus criados através de uma fluidez contemporânea.

Foto: Divulgação

 

Em meio a camadas e transparências, Mugler reconstrói sua história na passarela francesa. Depois de ficar fora do calendário e focar sua coleções em "collabs" comerciais a marca parece dar passos laterais para uma abordagem personalizada.

Ainda assim nada parece apagar o sucesso no mundo pop, conquistado através das antigas propostas, trazendo à passarela ícones como Paris Hilton e a atriz Angela Basset, além de supermodelos como Irina Shayk, Helena Christensen, Amber Valletta, Paloma Elsesser, Jill Kortlev e Mariacarla Boscono.

Foto: Divulgação


O desfile homenageou o renomado estilista Mugler, que faleceu no ano passado. Nesse desfile, a marca trouxe uma abordagem ousada e provocativa à moda, reimaginando suas próprias criações icônicas. Os looks apresentados foram marcados por uma extrema sensualidade e provocação.

As modelos desfilaram usando peças como espartilhos transparentes, bodysuits de cintura alta, macacões de alfaiataria com aberturas, botas acima do joelho, minivestidos pretos assimétricos e vestidos transparentes com aplicações de plástico que criavam volumes pontiagudos. Essas roupas revelavam minúsculas lingeries fluorescentes, adicionando um elemento de ousadia e escândalo.

Foto: Divulgação


O elemento central desse desfile foram as camadas e caudas extremamente longas de jersey de algodão, que, quando agitadas pelas modelos, criavam uma sensação de infinitude nos looks. Além disso, véus enormes foram usados de maneiras criativas, amarrados nos cabelos ou cobrindo o rosto das modelos, que revelavam sua beleza ao chegar à metade da passarela.



Comentarios


bottom of page